Concurso Internacional Santa Cecília – concertos de laureados

O Curso de Música Silva Monteiro organizou a XIX edição do Concurso Internacional Santa Cecília de piano, sob a direcção artística de Álvaro Teixeira Lopes, cuja Categoria Principal decorre na Casa da Música e as Categorias Júnior na Fundação Manuel António da Mota.

Concurso Internacional Santa Cecilia

Concluídas as provas eliminatórias e as semi-finais, pode-se já aferir que se tratou de um enorme êxito, devido à qualidade dos candidatos em todas as categorias, como à quantidade e à variedade das nacionalidades, sem esquecer o cuidado na selecção dos membros dos júris.
Auspicia-se, sem dúvida, um nível superlativo nos Concertos Finais que docorrem a 21 de Julho, às 18:00 horas na Fundação Manuel António da Mota, para as Categorias Júnior e na Casa da Música, dia 23 de Julho, às 18:00 horas, para a Categoria Principal, acompanhados pela Orquestra Filarmónica Portuguesa, dirigida pelo internacionalmente aclamado maestro, Osvaldo Ferreira.
A capacidade de organização, que este ano realizou provas eliminatórias em diversos países, mormente na China, conferem ao Concurso Internacional Santa Cecília um valor seguro para a cidade do Porto, para a organização e para o país, com uma excelência capaz de ombrear com muitos dos melhores congéneres que se realizam em qualquer parte do mundo.

Anúncios
Publicado em Álvaro Teixeira Lopes, Concurso Internacional Santa Cecília, Curso de Música Silva Moteiro, DiFundART, Música, Música Clássica, Orquestra Filarmónica Portuguesa, Osvaldo Ferreira, Piano | Etiquetas , , , , , , | Publicar um comentário

1917 – 2017: A Tradição do Piano no Conservatório de Música do Porto

A exposição virtual 1917 – 2017: A Tradição do Piano no Conservatório de Música do Porto, sob a curadoria de Ana Cancela, será apresentada, em sessão pública, dia 16 de Junho, às 17:30 horas, no Auditório do Conservatório de Música do Porto, ficando online no Google Arts & Culture Institute.
cartaz
A mesa de lançamento será presidida pelo director do Conservatório, António Moreira Jorge, com a participação de Teresa Xavier, coordenadora do departamento de teclas, e da curadora, Ana Cancela, que apresentará a exposição.
A apresentação e inauguração da Exposição Virtual – 1917-2017: A Tradição do Piano no Conservatório de Música do Porto  está inserida no programa das comemorações do Centenário do Conservatório.
Após a apresentação da exposição haverá um Recital de alunos de piano, com a participação de Martim Pereira, do 5º ano, Mateus Barros do 7º, Mafalda Oliveira, do 9º ano, e José Miguel Borges do 11º, conforme programa abaixo.

programa

Texto de Ana Cancela a propósito:

Consagrada ao tema, “1917 — 2017: a tradição do piano no Conservatório de Música do Porto”, a exposição virtual apresenta-se como o resultado de uma seleção de imagens, obtidas a partir da memória conservada em fotografias e outros documentos históricos, que fazem parte do acervo do Conservatório de Música do Porto, Fundação Juan Marz Madrid, Museu da Música, Direção-Geral do Património Cultural / DGPC, Arquivo Moreira de Sá e Costa e de coleções particulares. Tem como objetivo relembrar e homenagear as sucessivas gerações de professores/pianistas, salientando a sua importância e contributo na construção da história do Conservatório de Música do Porto desde a fundação até à actualidade.

Publicado em Ana Cancela, Conservatorio Musica Porto, DiFundART, Educação Artística, Música, Música Clássica, Músicos Portugueses, Piano | Etiquetas , , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Dina Resende e Rosgard Lingardsson em recital

Dina Resende e Rosgard Lingardsson apresentam-se em Recital de Piano a 4 mãos no Auditório do Centro Paroquial de Cristo-Rei no Porto, dia 31 de Janeiro, às 16:30 horas,
por ocasião do 37º aniversário da paróquia. O piano disponibilizado para o concerto é uma peça rara, um Steinway “Model A”, de 1898, original, em excelente estado de conservação.

Dina Resende e Rosgard LingardssonAmbas professoras de piano no Conservatório de Música do Porto, as pianistas tiveram origem, formação e percursos diversos até se encontrarem neste duo a 4 mãos, tendo já actuado em diversos locais, nomeadamente na escola onde ensinam.
Rosgard Lingardsson, dinamarquesa, estudou com Gunnar Hallhagen, mais tarde, na Florida, com Harold Sanford – discípulo de Joseph Lhevinne e, sob a orientação do aclamado pianista e professor Stanislav Knor, concluiu com distinção os seus estudos superiores em “Piano Performance”(1986) e “Pedagogia de Piano e Música de Câmara”(1988) na Royal Danish Academy of Music, em Copenhaga.
Dina Resende iniciou estudos de piano aos 8 anos, tendo sido discípula de Maria Manuela Araújo e de Marie Levêque de Freitas Branco até ao falecimento de ambas. Em 1985 instala-se em Paris para prosseguir estudos com o actual mestre Jean Fassina, tendo aí concluído estudos superiores de piano na École Normale de Musique de Paris Alfred Cortôt, na classe de Marian Rybicki.

Programa:

Mozart, W. A. -: Sonata em Ré M. K381
Schubert, F. – Fantasia em Fá m. D940
Schubert, F. – Marcha Militar Op. 51 No. 1
Barber, S. – Souvenirs Op. 28, V. Hesitation Tango
Piazolla, A. – Libertango
Dvořák, A. – Dança Eslovaca Op. 72 No. 2

Brahms, J.

– Dança Húngara No. 1
– Dança Húngara No. 17
– Dança Húngara No. 4
– Dança Húngara No. 6

 

Publicado em DiFundART, Dina Resende, Piano, Rosgard Lingardsson | Etiquetas , , ,

Rosgard Lingardsson inicia tournée de recitais

Rosgard LingardssonRosgard Lingardsson, pianista de origem sueca que vive em Portugal desde 1992, professora de piano do Conservatório de Música do Porto há 14 anos, tendo já formado vários jovens que começam a aparecer nos circuitos de recitais em Portugal e no estrangeiro, inicia uma tournée de concertos que a levará à Dinamarca, às Ilhas Faroé, à Suécia e, evidentemente, Portugal, Lisboa e Porto.
Depois do recital no Auditório do Conservatório de Música do Porto, apresenta-se no dia 6 de Julho no Teatro Ibérico, em Lisboa, interpretando obras de Scarlatti, Schubert, Rachmaninoff, Scriabin, A. Rey Colaço e Through a Glass Darkly de Christos Hatzis, em estreia nacional.

Breve biografia:
Rosgard Lingardsson nasceu na Suécia, tendo iniciado os seus estudos de piano com o Professor Gunnar Hallhagen. Mais tarde, na Florida (EUA), estudou com Harold Sanford – discípulo de Joseph Lhevinne. Sob a orientação do aclamado pianista e mestre Stanislav Knor, concluiu, com distinção, os seus estudos superiores em Piano Performance (1986) e em Pedagogia de Piano e Música de Câmara (1988) na Royal Danish Academy of Music, em Copenhaga.
Ganhou vários primeiros prémios em concursos, entre os quais, o ‘Den Kungliga Musikaliska Akademis Utlands Stipendium’(1983), então o mais importante da Escandinávia, bem como inúmeras bolsas para estudar nos EUA, na Suécia e na Dinamarca.
Vive em Portugal desde 1992 e é professora de Piano no Conservatório de Música do Porto desde 1999.
Actuou em concertos e festivais na Suécia, Dinamarca, Áustria, Portugal, Grécia e Estados Unidos.

Publicado em DiFundART, Música, Música Clássica, Piano, Rosgard Lingardsson | Etiquetas , , , , , , , | Publicar um comentário

Miguel Ribeiro – apresentação da sua obra fotográfica

Miguel Ribeiro - PhotoA DiFundART tem a honra de ter sido escolhida para divulgar a obra fotográfica de Miguel Ribeiro na net, nomeadamente nas redes sociais, de forma a disseminar ao maior número de interessados o espólio deste autor, iniciado em 1985.
Miguel Ribeiro nasceu em Lisboa em 1952, viveu em Moçambique entre 1954 e 1972, regressando a Lisboa entre 1972 e 1980 e na África do Sul entre 1980 e 1991, fixando residência na sua cidade natal a partir de 91. Licencia-se em Medicina em 1976 e obtém a especialização em “Clinics of Tropical Diseases” em 1978.
Foi durante a sua estadia na África do Sul que despertou para a fotografia, nomeadamente em 1985, usando seu corpo como objecto central de forma sistematizada, Abstract Body. Mais tarde, interessa-se pela fotografia médica, em especial, pela constituição de um espólio de imagens de patologias da condição humana que designou por Medical Photos, composto hoje por mais de 1000 fotografias. Após 2008, inicia um novo ciclo de interesse, At Home, com imagens captadas em casa a objectos e amigos que ilustrem a sua relação com eles. A partir de 2007 converte o seu trabalho para formato digital, tendo composto vídeos de fotos seleccionadas e sequenciadas com música, por entender, nas suas palavras, ser este um veículo mais adequado para apresentar algumas das suas séries de fotografias, atendendo à sua natureza obsessiva – Vídeo.
O seu portfólio foi já objecto de publicação além fronteiras em livros, revistas e jornais, generalistas e especializados em medicina, contando até ao momento com mais de uma dezena de exposições.

site: Miguel Ribeiro
Facebook: Miguel Ribeiro
C.V. – Miguel Ribeiro C.V.

Retirado do seu site pessoal:

I bought my first camera in 1978, two years after graduation in Medicine, Lisbon. From 1980 to 1991 I worked in South Africa and became a consultant in Internal Medicine. Inspired by the florid pathology and by the serene and dignified attitude towards disease and death by black patients, I was moved to record my impressions—a collection of medical photographs of that period is the first subject of this site.

From 2000 to 2008 I was concerned with the abstract depiction of my own body, its textures and sculptural potential explored as an object, stripped of its human identity. During the latter two years of this period, I sequenced some of the photographic series in short films with music. “Abstract body” is the next subject, while the films can be viewed in the video section.

From 2008 to date, I have been taking photographs at home aiming at a symbolical or fantasized illustration of objects and friends or my relationship with them. This final collection of photographs was seriously interrupted during the period from Feb 2010 to Feb 2012 by my full commitment to the writing of a book on an informationbased view of life.

Miguel Ribeiro

Publicado em Artes, Artes Visuais, DiFundART, Fotografia, Miguel Ribeiro | Etiquetas , , , , , , , , | Publicar um comentário